CMJP homenageia o cantor e compositor Zé Ramalho

Marmuthe.09

A partir de uma propositura do vereador Marmuthe (PSD), a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) homenageou, neste início de semana, o cantor e compositor paraibano Zé Ramalho. O artista, nascido em Brejo do Cruz, interior paraibano, recebeu das mãos do parlamentar o Título de Cidadão Pessoense e a Medalha Cidade de João Pessoa, principais honrarias oferecidas pela Casa Napoleão Laureano.

A homenagem foi aprovada pela CMJP em dezembro de 2015, e mesmo durante o recesso parlamentar, Marmuthe fez questão de fazer a entrega, aproveitando a temporada de férias do cantor na Capital paraibana. 

Foi uma emoção muito grande estar ao lado de Zé Ramalho e lhe entregar as honrarias em nome da CMJP e da população pessoense. Um dos principais representantes da cultura paraibana e nordestina merecia esta homenagem há muito tempo. Sua obra já está eternizada no coração dos brasileiros e sua trajetória artística é motivo de grande orgulho para todos nós. A partir de agora, temos oficialmente como conterrâneo um dos maiores artistas do nosso País”, disse o vereador.

Feliz e honrado com a homenagem, Zé Ramalho agradeceu ao parlamentar e retribuiu a gentileza da melhor forma que um fã pode esperar, lhe presenteando com autógrafo e um de seus trabalhos mais preciosos, a “Caixa de Pandora”, que inclui um DVD e quatro CDs com os maiores sucessos do artista, além de raridades que estavam arquivadas na gravadora durante a última década. 

Sempre fui um grande admirador das músicas de Zé Ramalho, pois cresci ouvindo seus discos e CDs com meus irmãos. Até hoje tenho seu primeiro LP em minha coleção e guardo com carinho estas canções e lembranças, que também fazem parte de minha história”, revelou Marmuthe. 

O vereador destacou ainda a importância do trabalho de Zé Ramalho para o Brasil, como legítimo representante da cultura e da música nacional, de forma autêntica, criativa e transformadora, influenciando e agradando muitas gerações. 

Com mais de 40 anos de carreira, Zé tornou-se um cidadão do mundo, atravessando fronteiras com sua música e representando muito bem o Brasil. Além disso, nunca perdeu a humildade durante sua trajetória, pois venceu na vida sem esquecer suas origens. Uma característica com a qual me identifico bastante. Por tudo isso, pelo conjunto de sua obra, que é inestimável, lhe agradecemos, lhe parabenizamos e lhe acolhemos ainda mais, como cidadão pessoense, meu amigo Zé Ramalho. Serão sempre bem-vindos seu talento, humildade e brilhantismo”, finalizou Marmuthe. 

O homenageado

José Ramalho Neto, mais conhecido como Zé Ramalho, nasceu em 3 de outubro de 1949 em Brejo do Cruz (PB). No começo dos anos 60, mudou-se com a família para João Pessoa, onde começou a participar dos “conjuntos de baile” da Jovem Guarda. Em 1974 gravou o LP “Paêbiru”, ao lado de Lula Côrtes, pela gravadora Rozenblit. Em 1977 gravou o disco de estreia: “Zé Ramalho”, com os sucessos “Avôhai” e “Chão de Giz”. Em 1981 publicou o livro de poesias “Carne de Pescoço”, editou os livretos ‘Apocalipse” e “A Peleja de Zé do Caixão com o cantor Zé Ramalho”. Neste ano, também lançou o disco “A Terceira Lâmina”. 

Em 1995 apresentou o show “Dueto”, com Geraldo Azevedo, fazendo grande sucesso por todo o País. Em 1996 foi lançado “O Grande Encontro”, com Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Alceu Valença e Elba Ramalho. O CD, gravado ao vivo, vende mais de 500 mil cópias. No mesmo ano lança o CD “Cidades e Lendas”. Já em 1997, lançou o CD “20 anos – Antologia Acústica” e “O Grande Encontro 2”, com Geraldo Azevedo e Elba Ramalho. O disco vendeu em torno de 300 mil cópias e foi premiado.

Em 2001, dividiu o palco com Elba Ramalho, sua prima e parceira musical, no Rock in Rio III. Além disso, teve o álbum “Nação Nordestina” indicado ao Grammy Latino, como Melhor Álbum de Música Regional. Em 2007 gravou o CD/DVD “Parceria dos viajantes”, indicado à categoria melhor disco de MPB no Grammy Latino. 

Em 2008 lançou o álbum de raridades “Zé Ramalho da Paraíba”, seguido de um álbum de covers “Zé Ramalho canta Bob Dylan – Tá tudo mudando”, homenageando o músico americano. O disco recebeu indicação ao Grammy Latino no ano seguinte, na categoria Melhor Disco de Rock. Em 2012, lançou o disco “Sinais dos Tempos”, somente com músicas próprias. Já em 2014, foi lançado o disco “Fagner & Zé Ramalho – ao vivo”, com diversos shows pelo Brasil.

Da assessoria do vereador (Bertrand Sousa)

Edição: Secom CMJP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *